REPERTÓRIO
ADULTO

SOMBRAS

Direção: Lua Barreto e Thaisa Santoth

O projeto nasceu através de um processo com o estudo dos Chakras. Cada artista se aprofundou em um ponto energético de acordo com sua experiência com o isolamento social. 

Solo _ Ausencia .00_19_27_19.Still024.jpg
0002-LayzaVasconcelos-5229_edited.jpg
0833-LayzaVasconcelos-7008.jpg
0050-LayzaVasconcelos-7087.jpg
0039-LayzaVasconcelos-4518.jpg
0088-LayzaVasconcelos-5355.jpg
1020-LayzaVasconcelos-4738.jpg
Griid.jpeg
grid 1.jpg
262612_235110126517230_1810568_n.jpg

ANJO CLANDESTINO

AUSÊNCIA

Direção: Thaisa Santoth

Atuação: Lua Barreto.

Baseado no primeiro chakra, fala de uma mulher que sente o vazio devastador de perder um companheiro de forma precoce na pandemia de COVID-19, essa loucura sanitária que tanto nos amedronta, sem uma despedida, sem um último olhar, sem uma última dança, sem sequer alguém ao lado para dividir a dor. A perda e o luto são abordados por uma perspectiva feminina, em que o companheiro aparece como memória, sem nunca mostrar o rosto. É, ao mesmo tempo, uma homenagem a cada brasileiro que se foi durante a pandemia e um manifesto, para que eles não sejam esquecidos.

DESEJO

Direção: Lua Barreto e Thaisa Santoth.

Atuação: Cauê Marques.

Baseado no segundo chakra, se refere à sexualidade e à criatividade. Neste solo, o personagem nos instiga a perceber a fragilidade do nosso ego e mostra como estar só e confinado após tanto tempo de pandemia mexeu com a nossa libido, ensinou a repensar nossas vontades e as formas de saciar nossos desejos essenciais. E acima de tudo, como nos obrigou a encarar de frente a nossa solidão. A linguagem circense perpassa todo o espetáculo. Um Mastro Suspenso, aparelho circense, praticamente ganha vida em cena, personificando a passagem do tempo, em interação com o artista.

FRAGMENTOS

Direção: Lua Barreto e Thaisa Santoth

Atuação: Luciano di Freitas

Trabalhando a energia do terceiro chakra, esse solo nos leva ao reconhecimento da dureza de nos encarar durante o isolamento social, depois de tanto nos esconder de nós mesmos, de se olhar no espelho e juntar os cacos pra formar uma única imagem, a imagem fragmentada, mas que mesmo imperfeita, é a nossa imagem.

MÁGOAS

Direção: Lua Barreto e Thaisa Santoth.

Atuação: Luis Rick.

Baseando-se no estudo do quarto chakra, cardíaco, responsável por nossas emoções e sentimentos, nos envolve em um processo de autoconhecimento a partir da necessidade de lidar com sua própria dor, confinado sozinho, mas preso às lembranças de outra pessoa. Se vê diante do desafio de revirar seus objetos na intenção de reviver todos aqueles sentimentos, trazendo de volta a dor da mágoa para que assim possa se libertar dela e seguir levando o que sobrou de bom. Mágoas se torna não apenas a superação da dor, mas também o reencontro consigo mesmo.

INSPIRA

Direção: Lua Barreto.

Atuação: Thaisa Santoth.

Baseando-se no estudo do quinto chakra,o espetáculo fala sobre as intenções da personagem para o ano de 2020 e como o acontecimento da pandemia transformou suas expectativas.

REFÉM

Direção: Lua Barreto e Thaisa Santoth.

Atuação: Zaf PK Popper.

Trabalhando dentro da energia do sexto chakra, traz reflexão e força, nos mostrando como o isolamento social nos desafia a encarar nossas próprias fraquezas. Neste solo o personagem se encontra preso aos seus vícios e enfrenta dificuldades para sair da sua prisão interna. O espetáculo expõe um corpo que se equilibra na dúvida entre lutar ou se entregar e permanecer recluso nas paredes invisíveis da sua própria desgraça..

SEM ASAS

Direção: Lua Barreto

Espetáculo que apresenta uma nova etapa de pesquisa da cia, no sentido de promover acessibilidade ao público surdo. Com pouquíssimo texto falado, o público acompanha o enredo através das músicas e a condução da dramaturgia acontece apenas em Libras.

QUEDA LIVRE

Direção: Lua Barreto 

Elenco: Cauê Marques, Zaf PK Popper

 

Dois dançarinos se posicionam artisticamente em relação a acontecimentos que vêm afetando toda a sociedade. Solo |Grito no Caos: nos últimos dez anos o número de pessoas com depressão aumentou 18,4%. Isso corresponde a 322 milhões de pessoas, sendo quase 12 milhões de brasileiros. É sobre a vida deles que este solo fala, representando, através da dança, o dia-a-dia de pessoas que sofrem de depressão. Solo| Até Quando: o medo não diminui a minha força. A repressão só aumenta minha sede por liberdade. Quase um desabafo, esta coreografia é a expressão da indignação de um artista preocupado com os rumos que a humanidade vem tomando.

O QUE EU PRECISARIA OUVIR?

Compositor : Reginaldo Mesquita
Baterista: Washington Micena
Bailarina: Alexssandra Cristina

O cantor e compositor Reginaldo Mesquita realiza uma apresentação intimista com suas canções autorais que abordam quem somos, duais, triviais, continentais e interioranos. Bondade e maldade em mistura caótica para além do binarismo. Acima do chão e debaixo do céu somos (im)perfeitamente capazes de viver  humanamente, (im)perfeição esta que faz de nós seres em constante aprendizado e transformação. Tudo isso, com voz, violão, experimentação e vibração.
 

_MG_9116 - Cópia.JPG

PENSAMENTOS NUS